Debate: a Justiça Arquetípica e a Justiça Deôntica

O Direito é justo? As sentenças são justas? Existe mesmo Justiça? Estas e outras questões inerentes à prática do Direito serão levantadas em um debate especial marcado para acontecer no dia 14 de agosto, às 19h30, no estande da Fórum, na 22ª Bienal do Livro de São Paulo.

O debate, mediado por Alexandre Dartanhan de Mello Guerra (Mestre e doutorando em Direito Civil pela PUC-SP, Professor da Faculdade de Direito de Sorocaba, Juiz de direito em SP), vai reunir os autores da obra “Um Diálogo sobre a Justiça: a Justiça Arquetípica e a Justiça Deôntica“, Luis Manuel Fonseca Pires e Ricardo Marcondes Martins – professores de Direito Administrativo da PUC-SP.

A obra que serve de base para o instigante debate faz uma contraposição de duas visões antagônicas sobre um mesmo tema. Justiça arquetípica, de um lado, justiça deôntica de outro.

Para Ricardo Martins, procurador municipal, a Justiça é um tema essencialmente jurídico, considerando-se o direito um conjunto de normas vigentes numa dada sociedade. A justiça é, portanto, um fenômeno próprio do direito e, por isso, humano. Associa-se a sentimentos bons, como a maturidade necessária à compreensão do outro, e a sentimentos maus, o repúdio pelo que se considera injusto e o desejo de retribuição à injustiça sofrida.

Já para Luis Manuel, a justiça, sob o prisma filosófico, diz respeito à consciência arquetípica decorrente da existência divina. Não se restringe à dogmática jurídica. A racionalidade que conduz à conscientização das verdades que compõem a ideia de justiça elabora-se com a frequente emersão de frações dos arquétipos coletivos.

Para Ricardo justiça e ódio são temas indissociáveis; para Luis Manuel, justiça e ódio são temas incompatíveis, justiça afina-se com o amor.

Para sustentar as respectivas posições, o debate promete levantar alguns tabus como o aborto, a pena de morte, a comprovação racional da existência de Deus. O resultado é um saboroso desafio.

Logo após o debate, às 21h, os autores permanecerão no estande da Fórum para a sessão de autógrafos.

Serviço:


Dia: 14 de agosto
Horário: 19h30
Debate: “Um Diálogo sobre a Justiça: a Justiça Arquetípica e a Justiça Deôntica
Mediador: Alexandre Dartanhan de Mello Guerra. Debatedores: Luis Manuel Fonseca Pires e Ricardo Marcondes Martins.
Local: Estande da Fórum na 22ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo (Estande D90)

Confira a programação completa da Fórum na Bienal